CONHEÇA NOSSO BLOG
Fazer Canal G

Vai fazer canal? Confira 5 mitos sobre a endodontia

A possibilidade de ter que fazer canal é um dos maiores medos dos pacientes quando se trata procedimentos dentários. Muitas vezes, isso acontece não pela relação com o dentista, mas pelos relatos desagradáveis que outras pessoas tanto espalham.

A hesitação em encarar esse tratamento pode ser tanta, que algumas pessoas pedem a extração do dente antes mesmo de considerar o tratamento do canal. Portanto, para evitar tamanha insegurança, o ideal é adquirir todas as informações possíveis dentro da endodontia.

Para ajudar nesse processo, listamos neste artigo alguns itens que são muito conhecidos, mas que não passam de mitos. Acompanhe e fique mais tranquilo!

1. Fazer canal é muito doloroso

Geralmente, o tratamento de endodontia é recomendado porque o paciente constata muita dor no dente. Este é o maior sinal de que a situação é praticamente irreversível, pois é muito provável que o dente esteja morrendo.

Os boatos são de que esse procedimento é extremamente doloroso, mas isso é mentira. A endodontia é o melhor caminho para amenizar aquele incômodo tão angustiante e trazer a esperada sensação de alívio.

Além disso, às vezes a dor no dente já é tanta, que a tensão por estar na cadeira do dentista agrava ainda mais a situação. Mas isso não corresponde aos efeitos do tratamento.

2. A endodontia precisa de muitas sessões

Fazer canal pode ser muito mais simples do que se imagina. Na realidade, o tratamento pode ser realizado em até duas sessões, dependendo do caso. Isso varia de acordo com o alcance da infecção e a dificuldade em saná-la.

É importante ressaltar que, antes da realização do procedimento, é necessária a reconstrução do dente atingido. Do contrário, o tratamento não surtirá efeito.

As sessões destinadas a essa reconstrução não são consideradas como parte da endodontia.

3. O canal pode infeccionar

O maior objetivo de submeter o dente à endodontia é justamente eliminar a infecção e impedir que ela se espalhe. Portanto, essa informação é totalmente errada.

A boca só está sujeita a infecções se não for bem cuidada, já que é foco de bactérias devido ao consumo de alimentos. A falta de escovação, bem como a escassez do uso de fio dental e dos demais métodos de higiene pode proporcionar problemas até nos dentes mais saudáveis.

4. Se não existe dor, o tratamento não é necessário

Alguns pacientes precisam fazer canal, mas sentem pouca ou nenhuma dor no local. Mesmo com o dente bastante infeccionado. Isso não quer dizer que a possibilidade de endodontia está eliminada.

Quando o dente está totalmente morto, é normal que a dor seja inexistente. Por isso, somente o profissional poderá determinar a necessidade do tratamento através dos adequados exames dentários.

5. Os resultados da endodontia não são duradouros

Quando o dente passa por este tratamento, é natural que fique mais frágil e esteja sujeito a rupturas provocadas pelo movimento de mastigação. Se escovado com muita força, os riscos serão os mesmos.

É importante que o paciente invista então em um acompanhamento longo com dentista para que esse tipo de acidente não ocorra e o canal conserve seus efeitos em plenitude. Por vezes, o problema não está propriamente em fazer canal, mas sim em uma selagem não adequada e que não é identificada a tempo.

Agora que você já sabe o quanto a endodontia é um procedimento tranqüilo e seguro, pode se submeter ao tratamento sem medo algum caso seja necessário. Se essas informações foram úteis para você, deixe um comentário abaixo e conte qual delas foi mais esclarecedora.

Posts RecentesCategoriasTags
  • Copyright © 2018 Instituto Oral Itaim - CRO CL : 12962 | RT: Joana Ozi CROSP: 92.804
  • Agência Trii