CONHEÇA NOSSO BLOG

Na imagem é possível ver um rapaz de sorriso largo mostrando um dos benefícios do clareamento dental que é o aspecto mais claro dos dentes
Categories Dicas e Informações

Quais são os benefícios do clareamento dental?

O clareamento dental consiste em um processo de limpeza da parte exterior dos dentes. Com isso, ele torna-se capaz de retirar as impurezas e, dessa maneira, torná-los mais brancos. É fundamental que um profissional oriente todo o tratamento para que seja realizado corretamente sem ocasionar danos. Neste artigo, abordaremos 6 benefícios do clareamento dental. Boa leitura!

6 benefícios do clareamento dental

O clareamento dental pode ser realizado em consultório ou por método caseiro. Em ambos, o profissional irá administrar um produto concentrado que será responsável por fazer a limpeza dos dentes. É importante lembrar que a taxa aplicada será de acordo com o nível de sensibilidade apresentada por cada paciente.
Por outro lado, mesmo entre tantas críticas, muitos são os benefícios do clareamento dental. A seguir, listamos 6 deles! Veja quais são!

Benefícios do clareamento dental: na imagem uma jovem está no consultório do odontologia passando pelo tratamento de clareamento a laser.

Identificação de problemas

O primeiro benefício do clareamento dental que pode ser encontrado é a facilidade na identificação de problemas. Uma vez que os dentes estão mais brancos e sem as possíveis “placas”, a avaliação mais precisa torna-se possível. Assim, o profissional poderá identificar quaisquer necessidades de prosseguir com outros tratamentos. Esses poderão ser tanto do campo da ortodontia, periodontia e endodontia.

Realização em diversas condições

Um dos benefícios do clareamento dental é o fato dele ser indicado pelos odontologistas em diversas condições. Em geral, elas estão ligadas à endodontia. Isso é, após um tratamento de canal, por exemplo, o dente tratado costuma ficar com coloração diferente dos demais. Nesse caso, o clareamento dental pode ser uma solução para torná-lo, novamente, vívido.

Na imagem é possível ver um procedimento odontológico que auxilia na manutenção dos benefícios do clareamento dental

Busca por bons hábitos

A busca por bons hábitos é um dos benefícios do clareamento dental. Ao passo que o tratamento é iniciado, existe uma série de restrições que o paciente deve seguir a fim de alcançar o objetivo final. A intenção é que essa mudança seja eficiente para manutenção do processo. Logo, o distanciamento de uma alimentação que escureça o esmalte dos dentes, nesse caso, pode ser tida como um dos exemplos.

Cuidado com a saúde bucal

Se a pessoa costuma frequentar o consultório do dentista, após a realização do procedimento de clareamento dental, ela tende a ir mais vezes ao local. O medo do andamento correto e a insegurança tornam-se um grande “empurrão” para que o paciente vá mais vezes ao consultório médico. Nesse passo, o maior cuidado com a saúde bucal é tido como um dos benefícios do clareamento dental.

Sinal de saúde nutricional

Dentes mais brancos são considerados um sinal de boa saúde. Essa afirmação pode ser feita tendo em vista que os maus hábitos são os principais responsáveis por torná-los com aparência amarelada ou cinzenta.
Sendo o clareamento dental um dos precursores do bom aspecto dentário, ele instrui a prática de novos costumes, principalmente, alimentares por parte do paciente. Nessa medida, o sinal de saúde nutricional é compreendido como um dos benefícios do clareamento dental.

Melhoria da autoestima

Por último, mas não menos importante dentre os benefícios do clareamento dental pode-se ser encontrada a melhoria da autoestima do paciente. A boa apresentação dos dentes está estritamente conectada com a autoconfiança e sensação de bem estar. Portanto, é comum que a técnica seja requerida por muitas pessoas que busquem por esses fins.

Onde realizar?

Na imagem pode-se ver uma moça sendo consultada pela odontologista para realizar a manutenção dos benefícios do clareamento dental

Gostou do nosso artigo sobre os benefícios do clareamento dental? Em nosso blog, você encontra 5 coisas para fazer antes do clareamento dental ! Conheça o Instituto Oral Itaim! Somos referência em clareamento dental, instalação de lentes de contato dental, plástica gengival e muito mais na região do Itaim Bibi, SP. Entre em contato conosco e faça seu orçamento!

doenças que afetam a gengiva
Categories Dicas e Informações, Odontologia

Doenças que afetam a gengiva e como tratá-las

Algumas doenças que afetam a gengiva acabam se manifestando para toda a região bucal. Portanto, cuidar da saúde da boca deve estar, sim, na lista de prioridades do dia a dia. Começando pela higiene diária, chegando ao acompanhamento médico necessário. Neste artigo, conheça as principais doenças ligadas à gengiva. Sintomas, surgimento e as melhores formas de tratamento.

Conheça as principais doenças que afetam a gengiva

gengivite e periodontite são as principais doenças que afetam a gengiva

Gengivite

Por mais que tenha um nome popular, a gengivite possui muitas características que não são de conhecimento popular. São nessas horas que a doença é ignorada e pode tomar grandes proporções. Em suma, uma das doenças que afetam a gengiva, a gengivite, começa em uma inflamação. São toxinas liberadas pela placa bacteriana que se acumulam nos dentes e causam vermelhidão, inchaços e sangramento na gengiva.

Periodontite

É um caso mais avançado da gengivite quando ignorada e não tratada. Todavia, os efeitos agora são mais graves. O processo se repete, já que as toxinas liberadas também causam irritação e inflamação. Depois, os tecidos se fragilizam e se separam do dentes. Nesses espaços criados entre dente e tecidos, as bactérias encontram possibilidades para proliferação. Consequentemente, as bactérias atingem a corrente sanguínea e entram no organismo.

Sintomas

As doenças que afetam a gengiva possuem consequências alarmantes, mas fornecem diversos sinais que estão se propagando. O estado normal da gengiva é em um tom rosado e uniforme, qualquer mudança na coloração já pode apontar que algo está errado. Além disso, sangramento em variadas intensidades e retração da gengiva são duas possibilidades.

Outros sintomas possíveis: inchaço, mau hálito e úlcera. O primeiro deixa o que antes era uma região firme, com uma textura mais inchada. Assim como acontece em outras partes do corpo, esse inchaço aponta problemas na região. Ulcerações (feridas) e mau hálito podem apontar a presença de doenças que afetam a gengiva. Além disso, durante o processo os dentes são afetados e podem ficar amolecidos.

Tratamento

O tratamento começa nas boas práticas de higiene bucal dentro de casa. Escovação dos dentes nas horas certas, utilização de fio dental, reduzir consumo de alimentos açucarado, bebidas alcoólicas e cigarro. Alinhada a esses cuidados diários e intransferíveis está a visita a um profissional de saúde bucal. Um dentista de confiança que vai identificar as possíveis doenças que afetam a gengiva ou até mesmo eliminar as chances de surgimento.

Como escolher um tratamento de segurança?

tratamento para as doenças que afetam a gengiva

A forma mais segura de tratar das doenças que afetam a gengiva é com acompanhamento de profissionais da saúde. Busque agora mesmo pelo Instituto Oral Itaim. Somos uma clínica odontológica em SP com uma equipe altamente capacitada e infraestrutura de ponta. Em nosso blog, confira artigos exclusivos sobre saúde bucal na terceira idade, saúde bucal da gestante, função do elástico do aparelho, escovação infantil e muito mais. Entre em contato e agende sua visita!

Descubra como escolher a melhor escova de dente
Categories Dicas e Informações

Conheça 3 soluções de estética bucal

Os avanços da odontologia colocaram no passado o constrangimento associado aos dentes não terem a aparência desejada. Agora, diferente do que acontecia em outras épocas, um sorriso lindo está ao alcance de todos. Isso porque as modernas técnicas tornam mais acessíveis as soluções de estética bucal e, com elas, a elevação da autoconfiança de quem investe nesses procedimentos.

Então, para você ter dentes bonitos, a primeira providência é conhecer as opções disponíveis. Descubra quais são, a seguir!

1. Clareamento caseiro com acompanhamento do dentista

Ter os dentes da cor que você sempre sonhou agora está mais fácil, com o clareamento dental caseiro. A técnica ganhou fama com esse nome porque pode ser realizada no ambiente doméstico — só que acompanhada por um dentista.

Esse profissional é fundamental para o procedimento, pois vai fornecer as orientações indispensáveis à sua realização. Entre essas indicações está o tempo de aplicação do produto clareador, e como manejar adequadamente os componentes envolvidos no processo.

Para ter uma ideia, o método consiste na utilização de um gel com poder de branquear os dentes. Ele forma uma película na superfície dental, e ali vai agir como clareador, durante o período indicado pelo dentista.

Após a aplicação do produto, uma moldeira — feita em silicone — assegura a permanência do clareador sobre a dentição. Essa alternativa costuma ter bons resultados, desde que seguidas à risca as instruções do especialista.

Para preservar o resultado alcançado, a pedida é colocar em ação as dicas de saúde bucal do seu dentista, e evitar consumir alimentos e bebidas que escurecem os dentes.

2. Clareamento a laser

Essa solução de estética bucal combina a aplicação do gel clareador em alta concentração ao uso de um sistema de luz. O clareamento dental feito com emprego dessa técnica é altamente eficaz, e a grande vantagem da sua utilização é mostrar resultados praticamente imediatos.

Funciona da seguinte maneira, o peróxido de hidrogênio usado na composição do gel, nesse caso, é ativado com a aplicação da luz de LED — ou de outra modalidade de lâmpada, a exemplo de halógena, gás plasma, ou argônio.

A ação da luz faz com que o clareador penetre melhor no dente, mostrando significativa diferença no tom do dente já na primeira aplicação. O número de sessões até a obtenção do efeito pretendido varia, mas em média, fica em torno de três procedimentos — em geral, com intervalo de uma semana entre eles.

3. Lente de contato dental

As lentes de contato dentais recobrem um ou mais dentes de forma a conferir a cor, tamanho e formato desejados. Sua utilização tem a finalidade de tornar o sorriso harmonioso, transformando por completo a dentição manchada ou fraturada.

Essas e outras correções de imperfeições dentárias podem ser feitas por meio das lentes, que se assemelham às tradicionais facetas, porém bem menos espessas. O emprego dessa solução em estética bucal é indicado também para quem apresenta diastemas, que são aqueles espaços — às vezes grandes — entre os dentes.

Viu só como há soluções de estética bucal feitas na medida para cada necessidade? Além das 3 elencadas no decorrer deste artigo, há ainda outras, como os implantes. Feitos para restaurar a parte funcional da dentição e promover a autoestima de quem opta pela técnica, substituem os dentes perdidos com total naturalidade.

Siga o nosso Facebook e fique por dentro dos assuntos e novidades ligados à saúde e estética bucal!

Conheca Os Riscos Dos Doces Para A Saude Bucal Miniatura
Categories Dicas e Informações

Conheça os riscos dos doces para a saúde bucal

Como as substâncias que compõem os doces são agradáveis para o paladar, os açúcares são constantes na vida de adultos e crianças. Com o exagero do consumo e a falta de cuidado com a saúde bucal, manifestam-se os problemas, principalmente em forma das tão temidas cáries.

Então, entender os riscos dos doces para a saúde bucal e saber reconhecer os sintomas da cárie é fundamental para ter o sorriso sempre saudável. Além disso, é preciso cuidar adequadamente da higiene oral, de modo a preservar a integridade dos dentes.

Nesse artigo, separamos informações relevantes para que você saiba quais são as causas prejudiciais no consumo de doces para a saúde bucal. Prossiga a leitura para saber mais!

Exagerar no consumo de doce faz mal para a saúde bucal?

Longe de ser um mito, o consumo excessivo de doces faz mesmo muito mal para a saúde oral. Isso porque os doces são os principais agentes causadores das doenças relacionadas à boca.

A explicação para isso está na proliferação de bactérias no ambiente bucal, decorrente da abundante oferta de alimento, representada pela presença do açúcar. Nos diversos tipos de doenças bucais, caso não haja intervenção de um dentista, pode ocorrer a perda dos dentes afetados.

Quais são as doenças causadas pela presença dos açúcares na cavidade oral?

O problema mais frequente, relacionado aos açúcares depositados na cavidade bucal, é o aparecimento de cáries. Elas causam a corrosão progressiva da dentição, e se não forem tratadas a tempo, chegam até o nervo, provocando necrose pulpar e em alguns casos, abcesso.

O acúmulo de açúcares assim como de outros alimentos, quando não removidos com a escovação correta, são responsáveis pelo surgimento da placa bacteriana sobre o dente. Ela é composta por resíduos alimentares e bactérias, que se não forem removidos, progridem e se transformam em tártaro — que é a placa mais resistente e endurecida.

Quando o perigo aumenta?

Para quem acredita que o açúcar causa iguais malefícios, independentemente do horário da sua ingestão, a má notícia é que esse conceito precisa ser revisto. Pois, de acordo com o horário que se coma doce, seus efeitos nocivos são mais graves ainda.

Para entender mais, comer doce à noite aumenta os riscos de se instalar alguma das doenças indicadas no tópico anterior desta postagem. O motivo do agravamento é a redução da produção de saliva pelo organismo no período noturno.

Veja que é, justamente, na saliva que se encontram muitas das substâncias que combatem a multiplicação das bactérias na cavidade oral.

Com menos enzimas e anticorpos trabalhando na eliminação dessas autênticas vilãs, o ambiente se torna favorável à ação dos agentes infecciosos. O resultado disso é a boca fragilizada e exposta aos causadores das diversas doenças.

Como cuidar da saúde bucal?

Se antes trouxemos referências desanimadoras sobre o que sucede no ambiente bucal com o uso do açúcar, agora é hora de apontar soluções para a temática. O melhor de tudo é que práticas bastante simples são eficazes para manter afastados os sintomas da cárie — e evitar que o mal se desenvolva.

Então, se sua preocupação está relacionada a como evitar cárie, a primeira atitude deve ser manter a cavidade oral higienizada. Isso, como uma rotina, na qual você privilegie os cuidados após a ingestão de doces.

Para tal, é recomendado caprichar na escovação, usar fio dental e enxaguante bucal, ao menos três vezes por dia, caso faça ingestão de algum doce, realizar logo após a escovação. Com esses cuidados caseiros, aliados a visitas regulares ao dentista, você se previne das doenças bucais.

Conforme você viu acima elencado, comer muito doce faz mal à saúde bucal, portanto, é importante reduzir a presença dessa substância na alimentação. Além disso, ao consumir açúcares, lembre-se de proceder a higienização da cavidade oral o mais rápido possível. Isso quer dizer, no máximo, 15 minutos após ingerir a substância adocicada. E, lógico, vá sempre ao dentista, para manter sua boca sempre bem cuidada!

Agende agora a sua avaliação dentária, entre em contato com o Instituto Oral, para tratarmos do seu sorriso!

Chupeta Entorta Os Dentes Miniatura
Categories Dicas e Informações

Chupeta entorta os dentes? 4 mitos e verdades da saúde oral infantil

Quando se trata dos cuidados com bebês e crianças pequenas, tudo é novidade e tem poder de gerar angústia. Nesse contexto, as dúvidas mais frequentes das mães e pais encontram respostas diversas — e até contraditórias.

Entre esses questionamentos está se a chupeta entorta os dentes é verdade ou mito. Essa resposta, e mais outros aspectos em torno da saúde oral infantil, são revelados a seguir. Continue a leitura e desvende 4 mitos que rondam os cuidados bucais dos bebês e das crianças!

1. A chupeta entorta os dentes

Essa afirmativa propagada desde tempos bem antigos é verdadeira, pois sugar chupeta compromete mesmo a dentição. Veja que a sucção do bebê deve se restringir a função de alimentação, caso contrário, transforma-se em um hábito difícil de corrigir.

Portanto, evite dar chupeta à sua criança, e caso ela tenha acostumado a sugar o dedo, procure reverter isso quanto antes. Essas simples vão contribuir decisivamente para a saúde oral do seu filho.

2. O aparecimento da primeira dentição provoca febre

A primeira dentição está relacionada, no imaginário popular, a ocorrências como febre alta e diarreia. É comum até ouvir menções ao nascer dos dentinhos do bebê relacionadas a episódios de vômito.

Isso tudo não corresponde à realidade, pois a eclosão dos dentes de leite tende a deixar a criança um tanto incomodada, porém não ao ponto de aumentar sua temperatura acima dos 38 °C. Ter alterações intestinais e vomitar são mais sintomas sem nenhuma ligação com o surgimento dos dentes.

3. O antibiótico mancha os dentinhos

Essa ideia circula com muita força, em função de proceder de uma verdade, só que ultrapassada. Isso porque a tetraciclina, potencial causadora de manchas nos dentes de bebês — entre outros efeitos colaterais — não pode mais ser receitados nem para eles, nem para suas mães, durante o período de gestação.

Então, se o médico prescreveu um antibiótico para a sua criança, o remédio não contém a substância nociva ao esmalte dos dentes. Inclusive, toda medicação prescrita deve ser ministrada conforme orientação do profissional de saúde. Havendo alguma dúvida, apresente-a ao pediatra, busque se sentir segura, peça para trocar a receita — se for o caso —, mas não deixe de medicar seu filho.

4. Os cuidados com a saúde oral começam com o primeiro dente

Se você já ouviu que é preciso esperar nascer o primeiro dentinho para cuidar da saúde bucal do seu bebê, pode desconsiderar. Na verdade, a primeira ida da criança ao dentista deve acontecer ainda na fase da sua gestação.

No pré-natal dentário, a gestante é orientada sobre como deve proceder para promover a saúde bucal da criança. Esse é o ideal, mas, em muitos casos, acaba passando despercebido. De toda maneira, o recém-nascido deve ter boca, língua e gengiva higienizadas após cada mamada. A visita ao odontopediatra deve ser realizada aos 6 meses de idade, época na qual costuma nascer o primeiro dente decíduo.

O melhor de saber que a chupeta entorta os dentes é poder usar essa informação, seja para prevenir ou remediar o uso do apetrecho. Assim, como o conhecimento ajuda a lançar luz sobre qualquer incerteza, busque sempre embasar suas condutas em dados confiáveis. Desse modo, diminuem os riscos de errar, e aumenta sua tranquilidade ao cuidar do bebê!

Compartilhe este artigo no seu Facebook e leve valiosas informações a seus amigos!

Fazer A Profilaxia Regularmente G
Categories Dicas e Informações

O que é o exame de Halitose e como é o tratamento?

Perceber o cheiro que exala da própria boca nem sempre é possível, o que, muitas vezes, gera insegurança no convívio social. Nesses casos, o simples conversar de perto já provoca certa inquietação.

Isso tende a gerar desconforto e até mesmo o afastamento das situações nas quais é impossível disfarçar o odor bucal. A boa notícia fica por conta de haver maneiras para identificar e tratar tal problema. Continue a leitura, descubra o que é o exame de Halitose e como cuidar do hálito!

O que é o exame de Halitose?

Já existem procedimentos específicos para identificar, com exatidão, a presença do mau hálito. Um desses exames diagnósticos é denominado Cromatografia Gasosa do Hálito, leva poucos minutos e tem resultado bastante confiável.

O teste é realizado com uso de um aparelho que, a partir de um simples bafejar, constata a presença dos gases responsáveis pelo odor caracterizado como Halitose. Parecido com um bafômetro, o instrumento revela se há sulfureto, metil mercapitana e o dimetil sulfeto no ar examinado.

Depois de realizada a prova, um gráfico informa os níveis de concentração dos componentes no hálito. Outro jeito de verificar o cheiro bucal consiste em realizar um teste sensorial. Ele dispensa a utilização de aparatos mais sofisticados, pois depende apenas de um tubo plástico e do hálito ali soprado passar por minuciosa avaliação.

Quais são as causas mais comuns do mau hálito?

Identificado o mau hálito, é hora de determinar a sua origem, que pode estar relacionada a diversos fatores. Entre eles, os mais comuns estão relacionados à cavidade bucal, a exemplo de gengivite ou dos dentes requerendo cuidados.

Gastrite provocada por bactérias e refluxo estomacal também são causadores de mau hálito. Doenças como laringite e amidalite, além de males bastante recorrentes na população em geral, a exemplo de sinusite e rinite, fazem o hálito ficar malcheiroso.

Doença graves também podem ter a Halitose como sintoma, entre elas a diabetes, insuficiência renal, câncer no estômago e até insuficiência cardíaca — além de outros.

Como tratar a Halitose?

Para a Halitose de origem bucal, a indicação fica por conta de ajustar a rotina de higiene bucal. Isso, a começar pela limpeza dentária feita em consultório odontológico, que servirá para eliminar as placas bacterianas.

Depois desse processo, o dentista vai orientar como deve ser feita a higienização diária da boca, língua e dentes. Além disso, o profissional vai sugerir produtos para complementar o cotidiano de cuidados com a boca. Seguir à risca essas condutas vai contribuir decisivamente para acabar com o mau hálito, e deixará você mais seguro nas situações sociais do dia a dia.

Agora você já sabe o que é o exame de Halitose, conhece suas principais causas e sabe o que fazer para eliminar o problema. Isso tudo é bastante efetivo, ainda mais quando conjugado a medidas preventivas, como as consultas regulares ao dentista.

Esse simples cuidado permite perceber ocorrências de mau hálito logo ao se manifestarem. A relevância desse rápido diagnóstico é imensa, já que o mau cheiro na boca pode sinalizar diversos males.

Cuidados com a saúde bucal devem ser prioridade, entre já em contato com o Instituto Oral Itaim e agende uma avaliação!

Endodontia Novidades Para Tratar Canal Miniatura
Categories Dicas e Informações

Endodontia: novidades para tratar canal

A endodontia é o ramo da odontologia que trata a parte interna do dente. Nessa especialidade, o foco é cuidar das lesões das cáries profundas e de doenças que afetam a polpa do dente. Outros dos cuidados do endodontista dizem respeito às lesões na ponta da raiz, parte do dente ligada ao osso, nervos, veias e artérias.

Essa rápida descrição foi apenas para destacar o que se deve esperar de um tratamento endodôntico. Daqui para a frente, vamos apontar o que há de novo nesse ramo, acompanhe!

Evolução da endodontia nos últimos vinte anos

A endodontia passou por importantes mudanças, nas últimas duas décadas. A primeira delas diz respeito à utilização de tecnologias. O uso dos modernos localizadores apicais eletrônicos, ultrassom, instrumentos rotatórios e microscópios clínicos odontológicos praticamente revolucionou os tratamentos endodônticos.

Os ganhos dessa evolução são procedimentos mais rápidos e seguros, com resultados mais previsíveis do que se tinha nos primeiros tempos da especialidade.

Principais tendências da especialidade

O emprego cada vez maior das tecnologias avançadas, adotado principalmente em clínicas odontológicas de ponta, tem levado a salvar dentes antes considerados perdidos. As principais conquistas das novas tendências tecnológicas englobam os procedimentos abaixo elencados:

  • limpeza e desinfecção do sistema de canais radiculares;
  • moldagem com limas especiais, tratadas com calor (para produzir preparações muradas de tamanho apropriado);
  • obturações feitas com grande precisão.

Esses tratamentos em endodontia são realizados com ferramentas baseadas em tecnologias antes não existentes. Com eles, a endodontia agora apresenta alto grau de previsibilidade, o que torna mais viável planejar o tempo que o tratamento pode demandar, bem como antecipar o nível de satisfação que ele trará ao paciente.

Técnicas e ferramentas que salvam dentes

As atuais formas de desenvolver os tratamentos endodônticos, aliadas às possibilidades avançadas das inovações tecnológicas, fazem a especialidade atingir resultados bastante promissores.

Com isso, dentes antes considerados perdidos, que apenas poderiam ser extraídos, agora são salvos. Estruturas dentárias antes tidas como impossíveis de tratar, quando diagnosticadas como restauráveis, têm hoje maior probabilidade de serem conservadas.

Isso, por conta de diversos equipamentos, entre eles as limas mais finas e flexíveis, os motores elétricos e equipamentos de odontometria eletrônica. A precisão desses instrumentos, conjugada com o alto nível de capacitação dos profissionais de endodontia atuantes nas melhores clínicas, chega a viabilizar tratamentos de canal em apenas duas sessões. Claro, isso vai depender de diferentes variáveis, mas é possível, em muitos casos.

As novidades em endodontia apontam um presente e futuro promissores para os mais diversos procedimentos. Em ambos os momentos, as inovações e potencialidades praticamente não têm limites. Para o paciente que recorre a tais tratamentos, os benefícios incluem maior conforto e economia de tempo. Dessa maneira, já é possível alcançar ótimos resultados, de maneira praticamente indolor e em poucas consultas.

Conheça, tudo que o Instituto Oral Itaim (IOI) pode fazer pelo seu sorrisse, agende já uma avaliação!

Como E Feito O Implante Dentario Miniatura
Categories Dicas e Informações

Como é feito o implante dentário?

Ter um sorriso bonito é uma das premissas da autoestima elevada. Por ser o nosso cartão de visita, ter perdido algum dente pode atrapalhar as nossas relações no dia a dia e mexer até com as nossas emoções.

O implante dentário é a solução perfeita para quem quer recuperar o sorriso e a felicidade. Até anos atrás, as alternativas que existiam se baseavam nas pontes fixas ou até mesmo em próteses totais — as chamadas dentaduras.

Com a modernização dos processos, outras possibilidades surgiram e uma delas é o implante dentário. Entenda mais sobre o mesmo neste artigo!

O que é um implante dentário?

Trata-se, no todo, de um dente implantado no espaço em que não há a presença do mesmo. Existem alguns tipos diferentes, mas o mais comum é o de titânio.

Tecnicamente falando, é uma estrutura de titânio posicionada no osso maxilar, abaixo da gengiva, para substituir a raiz do dente. Essa técnica é feita através de cirurgia. Em cima deste implante, é colocado o novo dente.

O implante é uma plataforma estável para o dente artificial porque é integrado ao osso. Quando a prótese é montada sobre o implante não muda de posição na boca e não escorrega durante a fala ou alimentação.

Como é feito?

A cirurgia para se colocar um implante dentário não é complicada. Com as técnicas avançadas que existem, muito mais desenvolvidas do que antigamente, este processo tornou-se um procedimento muito comum que, em alguns casos mais simples, pode durar apenas 20 minutos.

O procedimento é realizado no próprio consultório odontológico e é aplicada a anestesia local, sendo assim, o paciente não sente nenhuma dor.

O implante é feito a partir de dois processos:

  1. Etapa cirúrgica, em que são instalados os implantes que ficarão no lugar das raízes naturais dos dentes.
  2. Etapa da prótese, em que serão instaladas as próteses dentárias, ou seja, os dentes artificiais que ocuparão o lugar do dente perdido.

Passo a passo

Depois de analisar os exames do paciente, o cirurgião-dentista extrai os dentes preservando o que resta do osso. E, importante: nem sempre a extração acontece no mesmo dia do implante. Tudo vai depender da decisão do dentista, que se baseará no melhor para o seu caso.

O próximo passo é parafusar uma peça de titânio, que servirá de pino para colocação do dente. O dentista faz uma pequena incisão (corte) na gengiva, com a finalidade de expor o leito ósseo para este processo.

Depois, pequenas brocas realizam a perfuração do osso. O processo é realizado de forma a expandir progressivamente a cavidade, para que possa receber o implante do tamanho selecionado pelo cirurgião. Ele coloca um extensor do pino, local em que será fixada a coroa — a parte superior do dente.

Em seguida, o implante é inserido na cavidade e recebe uma tampa de proteção cicatrizadora. Por fim, realiza-se uma sutura na região. Depois disso, o paciente fica em repouso de 3 semanas a 6 meses dependendo da situação.

Ao retornar ao consultório, o cicatrizador é retirado e um pilar metálico é adaptado à prótese. Durante o repouso, o paciente pode receber uma prótese provisória. Finalizado o processo (coroa instalada na prótese), é necessário manter uma boa higiene bucal e está feito: o seu sorriso novo em folha.

Precisa realizar um implante dentário? Saiba mais sobre como o Instituto Oral realiza esse procedimento!

Como Adequar Minhas Consultas No Dentista Com Trabalho Miniatura
Categories Dicas e Informações

Como adequar minhas consultas no dentista com trabalho?

Assim como nas consultas médicas, quando o funcionário se ausenta no horário de expediente e retorna horas depois, o mesmo acontece quando as consultas são com o dentista.

Foi-se o tempo em que apenas consultas médicas eram consideradas importantes para a saúde das pessoas. A visita regular ao dentista previne doenças que podem causar diversas consequências graves à saúde do cidadão.

Vale considerar, porém, que cada empresa tem um termo de conduta diferente para lidar com saídas de funcionários sem ser no horário fora das atividades.

Em alguns casos, ela regulamenta o direito de ir a consultas médicas sem qualquer prejuízo ao colaborador, seja desconto salarial ou compensação das horas. Há, também, normas coletivas que inclusive regulamentam o direito do colaborador de acompanhar familiares e filhos.

Confira algumas dicas para você não se prejudicar quando precisar ir ao dentista em dia de expediente:

Procure agendar as suas consultas fora do horário laboral

Sim, é difícil encontrar vagas para atendimento odontológico fora do horário comercial. Porém, antes de já marcar a consulta, procure se informar se há a possibilidade de ser atendido em um horário alternativo. Caso não haja essa oportunidade, o jeito é marcar no horário disponível mesmo.

Prefira os dias em que você não trabalha

Se você não trabalhar durante os finais de semana ou se tiver outro horário de folga, que contemple dias úteis, tenha preferência por essas datas. Há diversos profissionais que trabalham em dias alternativos, por isso é sempre bom pesquisar. Do mesmo jeito, caso não seja possível, a única opção é agendar no horário disponível do consultório médico.

Avise os superiores

Caso realmente precise faltar por algumas horas no seu trabalho, não se esqueça de avisar o seu chefe com antecedência de, no mínimo, cinco dias. Não fale somente que irá se ausentar, mas explique o motivo da falta. Claro que, em situações de imprevisto, esta regra não se aplica. Mas, assim que possível entre em contato com os superiores.

Não se esqueça do atestado

Mesmo que a sua empresa tenha como norma o desconto de salário ou de horas pelo tempo ausente, uma coisa é certa: todas as empresas são obrigadas, por lei, a aceitar o atestado médico. Por isso, é imprescindível que o funcionário lembre de pegá-lo com o dentista para justificar o motivo em que precisou ficar fora da empresa por algumas horas.

Descumprimento do atestado médico

Não são raros os casos que, mesmo apresentando o atestado médico, a empresa ainda desconta do salário ou das horas trabalhadas pelo funcionário.

Nestes casos, é importante que o empregado tenha um recibo ou comprovante da entrega do atestado, pois a não aceitação de um atestado válido é considerada ilegal. Com este comprovante, você pode recuperar o dinheiro ou horas perdidos de volta.

Não deixe de ir ao dentista por conta do trabalho. É assunto de extrema importância para sua saúde, assim como qualquer visita a outro médico. Agende já sua consulta no Instituto Oral!

Lesoes De Boca Como Fazer Auto Exame E Cuidados Miniatura
Categories Dicas e Informações

Lesões de boca: como fazer autoexame e cuidados

Se você tem feridas na boca que não cicatrizam, manchas, placas avermelhadas ou brancas e sangramentos bucais, é preciso ter atenção. Esses podem ser sinais preocupantes de doenças mais graves.

Para identificar esses problemas o quanto antes, é indispensável tomar algumas medidas de prevenção: fazer consultas regulares e autoexame bucal são as principais. Este último é bem fácil de ser colocado em prática e contribui bastante para um diagnóstico precoce.

Com esse tipo de cuidado, você poderá evitar diversas doenças prejudiciais à saúde. Veja agora como identificar lesões de boca e manter seu sorriso sempre saudável!

O que pode causar lesões de boca?

Alguns hábitos prejudiciais à saúde podem ser os causadores das lesões de boca mais comuns. Fumar cigarros e consumir álcool em excesso, por exemplo, são práticas que devem ser eliminadas de vez da rotina. Realizar a higiene bucal de forma errada também pode desencadear feridas e incômodos, especialmente na gengiva. Além disso, utilizar aparelhos e próteses dentais inadequadas podem machucar.

É importante também utilizar proteção contra o sol nos lábios, como protetores labiais com fator UVA. A exposição constante pode desencadear câncer de lábio, que caso se espalhe, pode atingir também a parte interna da boca.

Como fazer o autoexame?

Existem inúmeras lesões que acometem a cavidade oral, algumas mais simples, como as aftas e outras de extrema importância, como o câncer bucal. Para o diagnóstico correto, é de extrema importância a consulta com seu dentista. Ele irá saber se é apenas uma lesão simples ou se serão necessários outros exames para diagnosticar e posteriormente tratar cada caso. Em muitos casos o dentista clínico geral irá encaminhar o paciente para o especialista.

A grande maioria das pessoas não tem o hábito de fazer o auto exame da boca. Apenas com esse cuidado mensal é possível prevenir diversas doenças e principalmente tratar precocemente. A grande maioria dessas lesões são benignas e de fácil tratamento, portanto, caso encontre algo diferente, não se assuste e procure o dentista.

Para identificar lesões de boca, o autoexame deve ser feito com a ajuda de um espelho. Você deve inspecionar todas as estruturas da boca e também do pescoço e ficar de olho em trechos de pele com mudança de cor, presença de caroços e inchaços.

Passe o dedo indicador na parte interna da boca com leveza, para detectar se existem áreas dormentes, dentes quebrados ou algum tipo de feriado proeminente, mas que até então não apresenta dor. Por fim, continue a passar o dedo por toda a arcada dentária. Dessa forma, você consegue encontrar dentes amolecidos, quebrados ou com alguma textura diferenciada que foge do habitual.

Quais outros cuidados são importantes?

O primeiro cuidado a se tomar para evitar lesões de boca é escovar os dentes após todas as refeições. Os movimentos não podem conter muita força e uma escova de cerdas mais macias deve ser utilizada para não ferir a gengiva.

O fio dental também deve ser utilizado, pelo menos uma vez por dia. Assim, a remoção de placas é feita por completo e nenhum resquício de alimentos ou detritos permanece preso aos dentes. Esses cuidados devem ser redobrados caso você use aparelho dental, especialmente fixo.

Para o caso de aparelhos móveis, eles devem ser higienizados a parte, conforme a frequência indicada pelo dentista. Também é fundamental agendar consultas periódicas, pelo menos semestralmente, para que o profissional faça uma limpeza mais profunda e um novo exame mais específico. Sem dúvidas, essa limpeza é definitiva para que você conserve os cuidados com seus dentes por mais tempo, além de iniciar um tratamento antes que a situação se agrave, se algum problema for identificado.

Ainda está na dúvida sobre isso? Então confira também 4 motivos para realizar esse procedimento regularmente. A saúde de sua boca irá agradecer.

1 2 3 5
  • Copyright © 2018 Instituto Oral Itaim - CRO CL : 12962 | RT: Joana Ozi CROSP: 92.804
  • Agência Trii